Você sabia que há um único hotel dentro do Parque das Cataratas do Iguaçu no lado brasileiro? Ficar no Belmond Hotel das Cataratas proporciona aos hóspedes o melhor contato com a natureza e o privilégio de conhecer uma das sete maravilhas naturais do mundo quando o parque está fechado para visitantes.

Dormir escutando o som das cataratas, acordar com tucanos na janela, sentir a força das cataratas praticamente sozinho ao nascer e pôr do sol e ainda estar a poucos minutos das principais atrações da região como o Macuco Safari e Parque das Aves.

Estes são alguns dos privilégios que os hóspedes do Belmond Hotel das Cataratas têm por serem os únicos a ficar dentro do Parque Nacional de 180 mil hectares quando os portões fecham aos visitantes.

O conjunto de aproximadamente 275 quedas d’água que divide o Brasil e a Argentina é definitivamente um espetáculo da natureza que todo mundo deveria assistir um dia.

Porém, conhecer o patrimônio natural da UNESCO sem competir por espaço com as outras duas milhões de pessoas que visitam o parque anualmente é de um privilégio imensurável.

Como apaixonada por natureza, decidi que conhecer a energia e força das águas das Cataratas do Iguaçu merecia uma verdadeira imersão naquele cenário mágico.

Por isso, minha escolha foi o Belmond Hotel das Cataratas. Além de ficar longe de aglomerações (pré-requisito em viagens nos tempos atuais), a experiência superou qualquer expectativa e conto para você os motivos que fizeram a estadia valer a pena:

Hotel Dentro das Cataratas - O Belmond é o único hotel dentro do parque Nacional das Cataratas do Iguacú do lado brasileiro
A vista do quarto luxo para as quedas Três Mosqueteiros, um dos cartões postais das Cataratas do Iguaçú. Foto: Virginia Falanghe | Hotel dentro das cataratas

Vale a pena ficar no único hotel dentro do parque nacional das Cataratas?

O Belmond Hotel das Cataratas é um mundo à parte, uma imersão em uma fazenda quase centenária de arquitetura colonial portuguesa com serviço e infraestrutura planejados nos mínimos detalhes para quem preza pela excelência.

A grande barreira para muitas pessoas acaba ficando em torno do valor da diária que começa a partir de R$ 1500 para duas pessoas. Por outro lado, o valor não agrega apenas a estadia em uma propriedade 5 estrelas, mas sim a oportunidade de conhecer o Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú com a maior exclusividade e imersão.

Enumerei aqui alguns motivos, que no meu ver, fazem valer a pena a experiência:

Vantagens:

1) Fazer as trilhas do parque sem filas ou multidões

É possível caminhar até o cartão postal das Cataratas do Iguaçu, a Garganta do Diabo, e aproveitar os sprays das cachoeiras com apenas a vida selvagem como companhia.

O Parque Nacional das Cataratas abre aos visitantes das 9h às 17h. Nos outros horários, as Cataratas ficam com acesso limitado aos hóspedes.

Às segundas-feiras durante a pandemia o parque fecha para limpeza, deixando assim as trilhas exclusivas para os hóspedes do hotel ao longo de todo o dia.

Ficamos das 7 às 9 da manhã sozinhos na Trilha das Cataratas, recarregando as energias em tamanha força da natureza. Uma experiência inesquecível, única e que com certeza ficará na memória por anos e anos.

Hotel Dentro das Cataratas
Sozinha nas concorridas passarelas para ver a maior queda d’água das Cataratas, a Garganta do Diabo. Foto: Virginia Falanghe
A força das águas das Cataratas do Iguaçu. Uma experiência que todo brasileiro deveria vivenciar um dia.Foto: Virginia Falanghe

2) Assistir ao nascer e pôr do sol nas Cataratas

Se conhecer as Cataratas do Iguaçu praticamente sozinho já é uma experiência digna de celebridade, imagine então testemunhar o pôr do sol atrás das quedas d’água.

A natureza parece pintada à mão nesse oásis em meio ao oeste do Paraná que provavelmente já inspirou cenários de filmes de animação da Pixar.

Você pode contemplar esse momento em uma meditação em frente aos três mosqueteiros (foto), sentindo às forças das águas na passarela da Garganta do Diabo ou curtindo um drink no bar Tarobá.

É daqueles momentos que nos fazem pensar, contemplar e simplesmente agradecer.

Pôr do sol nas Cataratas, oportunidade que só quem se hospeda dentro do parque Nacional consegue apreciar
Pôr do sol nas Cataratas, oportunidade que só quem se hospeda dentro do parque Nacional consegue apreciar . Foto: Virginia Falanghe

3) Contato com a Fauna e Flora local

Ficar no único hotel dentro das Cataratas faz o contato com a fauna e flora local ainda mais intenso.

Todos os dias ao abrir a janela ao acordar nos deparamos com uma família de tucanos na árvore em frente (foto abaixo). Ao passear pelos jardins do hotel, é comum avistar famílias de quatis andando tranquilamente (foto). Acredito que o Parque das Cataratas é um dos lugares com mais borboletas que eu já conheci, simplesmente fantástico.

Já na estrada que liga a entrada do parque ao hotel das Cataratas e início da trilha, fique de olho para avistar cotias, iguanas e cervos. À noite, há a possibilidade (um tanto rara) de ver algumas das mais de 32 onças rastreadas que vivem pelo parque. Simplesmente maravilhoso!

Único Hotel Dentro das Cataratas | Conheça o Belmond Hotel das Cataratas
Os tucanos que diariamente visitam as árvores do hotel. Foto: Virginia Falanghe
Quatis nos jardins do hotel. Foto: Virginia Falanghe

4) Dormir ouvindo o barulho das Cataratas

O som das cataratas é tão intenso quanto um dia de grandes ondas quebrando no mar. A única diferença é que não há o silêncio entre elas, e sim o som constante das águas e corredeiras.

O Parque das Cataratas é um lugar tão mágico que tivemos a sensação de que à noite todo aquele volume de água (mais de 1,5 milhões de litros cúbicos por segundo) sessaria para uma folga.

#SóQueNão, rs.

Toda aquela magnitude é real. Dormir com a trilha das cataratas ao fundo é uma experiência e tanto – melhor que qualquer meditação ou relaxamento para pegar no sono.

Único Hotel Dentro das Cataratas | Conheça o Belmond Hotel das Cataratas
Jantar com vista para as Cataratas no Restaurante Itaipú . Foto: Virginia Falanghe

5) Arco Íris de Prata

Não entendo como pouco se fala sobre o fenômeno do Arco Íris de Prata ou Lunar. Ele acontece em poucos lugares do mundo, dá para contar nos dedos: Victoria Falls, no Zimbabue, e nas Cataratas do Iguaçu, no nosso Paraná.

Em noites de lua cheia sem muitas nuvens e com a vazão da água intensa, é possível avistar um arco íris formado pela luz da lua – ou seja, ele é um arco-íris lunar, cor de prata!

Então já anote a dica: marque sua viagem nas três noites de lua cheia do mês. Quem fica no Belmond Hotel das Cataratas pode se aventurar nos passeios da lua cheia para tentar ver o raro fenômeno.

Tudo começa com a trilha que passa pelo meio da floresta, com lagartos, morcegos e outros animais selvagens da fauna regional. Um biólogo residente acompanha os participantes, até a chegada a Garganta do Diabo. Ao chegar, é possível encontrar uma cena rara: o arco-íris formado pela luz da lua batendo contra as águas das cataratas.

Nós não sabíamos do fenômeno do Arco-Íris de Prata antes de marcar nossa viagem. Agora, queremos voltar em noites de lua-cheia para tentar ver esta mesma cena sob a luz do luar ;). Foto: Virginia Falanghe

6) Único hotel 5 estrelas da Forbes Travel Guide no Brasil

Para um hotel entrar na seleta lista da Forbes Travel Guide classificado como 5 estrelas é porque ele precisa ser impecável.

No Brasil, o único a consquistar essa façanha é o Belmond Hotel das Cataratas.

Vantagens de uma localização privilegiada, em meio à floresta tropical brasileira cercada das cataratas mais bonitas do mundo, um serviço, infraestrutura e atendimento padrão Belmond (também donos do icônico Copacabana Palace).

7) Serviço Impecável

O serviço e atendimento são simplesmente impecáveis. Praticamente todos os funcionários cumprimentam os hóspedes pelo nome: “Bom dia, Sra. Falanghe” (não sei se fazem isso com os hóspedes das 187 suites do hotel!.

O atendimento é próximo, solicito e genuíno, que lembra hotéis boutique, com poucos quartos.

O que achei mais bacana é que, como sou um pouco avessa ao luxo ostentação, cheio de pompa e exageros, o Belmond sabe encontrar o equilíbrio tênue entre a cordialidade que respeita o seu espaço e a hospitalidade que faz você se sentir em casa. 10 de 10!

A deliciosa piscina climatizada do Hotel das Cataratas. Foto: Virginia Falanghe
Os jardins bem cuidados do Hotel das Cataratas. Foto: Virginia Falanghe

Desvantagens

Fico até com receio de escrever um artigo tendêncioso, mas confesso que são poucas as desvantagens de escolher o Belmond Hotel das Cataratas pelo menos por uma noite.

Porém, se posso citar algumas, elas ficam por conta da pouca variedade de opções gastronômicas mais acessíveis. Almoço ou jantar custam, em média, R$100 – R$ 200 por pessoa.

Por isso, se estiver se preparando para conhecer o hotel das Cataratas, é bom já agregar o valor da alimentação para a família.

Se você pensa em uma viagem pinga-pinga, aquelas de conhecer o lado argentino em um dia, o Paraguai em outro, Itaipú no outro, talvez escolher ficar todos os dias no hotel talvez não seja o ideal.

Para chegar da entrada do Parque ao hotel são cerca de 20 minutos de transfer. Quem está em busca deste estilo de viagem, recomendo alguns dias de pura imersão no Belmond Hotel das Cataratas e outras noites em um hotel no lado argentino.

Detalhes do Hotel

Restaurado com o charme original dos anos 50 e num tom cor-de-rosa pastel que já virou símbolo da boa hotelaria, o Belmond recebe seus hóspedes no melhor estilo de fazenda colonial portuguesa.

Uma construção em U com o estilo de fazenda em meio às belezas naturais do Parque Nacional de Iguaçu, o Belmond Hotel das Cataratas já recebeu grandes personalidades nacionais e internacionais.

Princesa Diana, Steven Spielberg, Tony Blair, David Rockefeller e Elis Regina são apenas algumas deles.

Único Hotel Dentro das Cataratas do Iguaçú
O tom cor de rosa pastel que decora a icônica fachada dessa casa de fazenda que já hospedou grandes personalidades mundiais. | hotel dentro das cataratas

Acomodações

São 187 acomodações em três categorias diferentes: apartamentos, Suítes Junior e Suítes Cataratas.

Nosso quarto luxo, com cerca de 29 metros quadrados, têm uma decoração que mistura a clássica tropicalidade brasileira com a atmosfera colonial portuguesa.

Tudo de muito bom gosto, com destaque aos lindos azulejos portugueses que estampam as paredes do banheiro.

Amennities e Mimos

Ao entrar no quarto, encontrei um kit de bem-estar ecológico que não poderia ser mais a minha cara! Tudo feito artesanalmente com produtos brasileiros.

Entre as amennities, também conhecidas como produtos de higiene pessoal, você vai encontrar:

  • Kit de shampoo, condicionador, sabonete e hidratante corporal Granado
  • Sabonete Phebo e outro artesanal para lavar as mãos (o nosso era um sabonete vegetal mel com própolis – maravilhoso!)
  • Sais de banho com aromas da Mata Atlântica
  • Sandálias Havaianas (tamanhos 38 e 43)
  • Roupões de Banho
  • Secador de cabelo Taiff Profissional

Já o frigobar vem completo com alguns doces, barrinhas e refrigerantes já inclusos no valor da diária. Só não está incluso o refil. Também conta com máquina de café Nespresso.

Kit de bem-estar ecológico, um dos muitos mimos para os hóspedes Belmond.

Infraestrutura

Depois de curtir um dia entre os quase 3 km de extensão das Cataratas do Iguaçu, não há nada como relaxar.

Entre a infraestrutura do hotel, há uma piscina climatizada, quadra de tênis, SPA, dois restaurantes, um bar, sala de jogos, kids club, entre outros.

Além disso, vale ressaltar que um dos pontos mais icônicos do hotel é a sua torre. Ela é o ponto mais alto do Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú.

Com acesso livre aos hóspedes, as escadas que levam ao cume da torre têm fotos que contam a história memorável do hotel, além de curiosidades sobre sua construção.

Localização e Locomoção

Onze quilômetros separam a entrada do Parque Nacional do início da Trilha das Cataratas e do Belmond. Apenas veículos autorizados tem entrada permitida no parque. Por isso, há três maneiras de chegar ao Hotel das Cataratas:

  • Com o traslado exclusivo do Belmond que deve ser reservado previamente para quem vem direto do aeroporto (Cotação para nossa viagem: Chegada – R$315,00 | Partida – R$295,00).
  • Com traslado privativo de uma operadora de turismo receptivo de Foz do Iguaçu. Recomendo a MMC (preços a consultar, mas tendem a ser mais em conta principalmente fechando pacote de traslados para passeios fora do parque).
  • De carro, táxi ou Uber até o estacionamento na entrada do parque nacional. Seguido de traslado gratuito do Belmond que faz o trajeto entrada do parque-hotel (checar horários com concierge) ou do parque nacional (das 9 às 17h).

Para quem vai ficar hospedado no Belmond todos os dias, não vale a pena alugar carro. Este deverá ser deixado na área de estacionamento do parque, a 11 km do hotel, uma vez que somente automóveis autorizados podem entrar.

Vale mais a pena fechar um pacote de transfers para passeios longe do hotel, como Itaipú, Monastério Budista, Marco das Três Fronteiras ou visitas ao lado argentino e Paraguai. Recomendo o receptivo MMC para isso.

Os principais passeios do parque no lado de brasileiro podem ser acessados via traslado gratuito do hotel ou parque, como o Macuco Safari, Parque das Aves e Helisul para passeio de helicóptero. Já para ter acesso a Trilha das Cataratas, é só cruzar a rua do hotel.

Quando ir?

As melhores épocas para visitar Foz do Iguaçu são as meia estações: primavera ou outono. É nesta época que as temperaturas ficam amenas e as cataratas tendem a estar com boa vazão. No inverno, as temperaturas podem chegar a 0ºC, enquanto no verão o clima fica muito quente.

Uma dica é tentar casar a sua ida com as três noites de lua cheia do mês para ter a chance de assistir ao Arco-íris de Prata, um fenômeno natural noturno que acontece em poucos lugares do planeta, mas forma-se na Garganta do Diabo, a maior queda d’água do parque nacional. Para que ele apareça, é preciso dar a sorte de encontrar as condições perfeitas em sua visita: noites de lua cheia com o céu limpo e boa vazão de água nas cataratas. Quem fica no hotel, tem as três noites de lua cheia do mês para tentar a sorte de ver o raro fenômeno.

Aos que gostam de uma boa feijoada, todos os sábados o restaurante Ipê no Belmond serve o típico prato brasileiro no almoço em frente a piscina, com música brasileira ao vivo e caipirinhas à vontade (R$ 150).

Durante a pandemia, o Parque Nacional fecha às segundas-feiras para visitantes. Hóspedes Belmond tem, então, acesso exclusivo às Cataratas do Iguaçú ao longo de todo o dia.

Se conseguir conciliar sua ida com os meses de primavera ou outono, noites de lua cheia e ficar no hotel pelo menos entre sábado e segunda, pode conseguir viver o melhor cenário possível nas Cataratas. 😉

O que fazer dentro do Parque Nacional das Cataratas

Macuco Safari

Não há como conhecer as Cataratas do Iguacu e não fazer o passeio do Macuco Safari para tomar um belo banho de cachoeira e sentir a força das águas das quedas.

O Macuco Safari tem a entrada dentro do parque nacional, a 5 minutos de traslado do Belmond, e conta com um passeio em três etapas: o safári, no qual um guia mostra curiosidades da flora e fauna da região a bordo de um carro elétrico, uma trilha ecológica e depois o passeio de bote para chegar pertinho das cataratas.

Para quem gosta de adrenalina como eu, vale a pena concluir o passeio com a volta das corredeiras do Rio Iguaçú em uma aventura de rafting. Deixa a experiência mais completa, cheia de emoção e divertida.

O passeio completo nas Cataratas do Iguaçú para quem gosta de adrenalina, com o banho de cachoeira do Macuco Safari terminando com um rafting pelas corredeiras do Rio Iguaçú

Parque das Aves

A poucos minutos do Belmond Hotel, fica o Parque das Aves. Para chegar lá, é só pegar um transfer do hotel e andar 200 metros a partir da entrada do parque.

Mais de 160 espécies resgatadas do tráfico e maus tratos vivem em um santuário ecológico em lindos viveiros. As aves vivem ali enquanto aprendem a serem reintroduzidas à natureza. Uma experiência surpreendente, de um projeto de conservação e preservação da fauna da Mata Atlântica que deveria ganhar ainda mais visibilidade. Se puder, faça a experiência backstage para conhecer os bastidores do parque.

Voos de helicóptero

Uma experiência totalmente diferente de ver as Cataratas por terra, o voo de helicóptero proporciona uma vista panorâmica do Parque, mostrando a grandiosidade dele.  O voo é rapidinho, são apenas 10 minutos, mas vale a pena. Quem leva é a empresa Helisul, que tem a base em frente ao Parque das Aves.

Há também a opção de um voo mais longo que sobrevoa o Marco das Três Fronteiras, o ponto onde Brasil, Paraguai e Argentina se encontram.

Qual é o preço do hotel dentro das Cataratas? Vale a pena?

Tive a oportunidade, pelo trabalho, de me hospedar em alguns dos melhores hotéis do mundo. Nem todos recomendo de olhos fechados para quem puder. Acredito que cada um um têm um estilo e perfil de público.

Porém, o Belmond é um hotel que pode abrir muito o leque em termos de agradar diferentes perfis. Ele tem a grande vantagem de estar imerso em uma das 7 maravilhas naturais do mundo.

Traçando um paralelo, é como ter a oportunidade de se hospedar dentro da cidade perdida de Machu Picchu e conhecer esse Patrimônio Mundial da UNESCO antes dos turistas chegarem.

Por isso, digo de olhos fechados: se puder, hospede-se no Belmond Hotel das Cataratas.

Nem que seja para viver essa experiência por uma única noite, e assim, levá-la em sua memória por anos e anos.

Hotel Dentro das Cataratas
A tropicalidade clássica do Brasil retratada nas inúmeras obras de arte do hotel. | Hotel Dentro das Cataratas

Também contei dessa experiência em outros sites:

Dicas de Viagem – Belmond Hotel das Cataratas

Pousadas Incríveis – Qual é o melhor hotel para conhecer as Cataratas do Iguaçu?

Continue lendo sobre Foz do Iguaçu:

Virginia Falanghe

Jornalista de viagens e especialista em marketing digital de turismo, Virginia transformou sua paixão por viagens e aventuras em profissão. Já conheceu os cinco continentes com algumas paradas longas na Austrália, EUA, Portugal, Canadá, além de três meses a bordo de um catamarã pelas ilhas do Caribe. Além de escrever sobre destinos de natureza aqui no Viva o Mundo, é colunista de viagens na JovemPan, editora-chefe do site Dicas de Viagem e head da agência digital Pura. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 respostas