Roteiro São Bento do Sapucaí, SP

por Virginia Falanghe
8 comentários
viva o mundo

Passamos um fim de semana em São Bento do Sapucaí, interior de São Paulo. A pequena cidade, com cerca de 10 mil habitantes, fica em um vale lindo embaixo da Pedra do Baú, símbolo da Serra da Mantiqueira e uma das mais famosas do estado.

É um destino que vive de agronegócios e turismo e é muito procurado por quem gosta de aventura e natureza. A Estância de São Bento do Sapucaí possui o mesmo clima da cidade vizinha, Campos de Jordão, só que sem todo o glamour da cidade point do inverno paulista, mas com um charme interiorano sem igual.

São Bento do Sapucaí fica na divisa do estado de São Paulo com Minas Gerais. Ou seja, para a alegria dos paulistanos esfomeados e fãs de arroz com feijão, a comida mineira é o que domina por lá! Além da culinária típica, as construções centenárias e o povo hospitaleiro garantem que você passe um ótimo tempo por lá.

Neste post:

Informações básicas

Onde fica

São Bento do Sapucaí é uma cidade no interior de São Paulo que fica a aproximadamente 190 km da capital e faz divisa com o estado de Minas Gerais.

Informações demográficas

São Bento do Sapucaí é uma cidade de São Paulo pertencente à região metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte com aproximadamente 11 mil habitantes.

As melhores épocas para se visitar São Bento do Sapucaí

Não existe uma melhor época para se visitar a cidade: o passeio por lá pode ser feito a qualquer momento. É sempre bom ter em mente que, dependendo do momento, a cidade pode estar mais lotada do que de costume.

Durante o verão, a cidade é bastante visitada por quem quer aproveitar as trilhas quando ainda não está frio, mas há também grandes eventos que possam movimentar a cidade, como carnaval.

No inverno, a região é uma ótima opção para se passar um final de semana por seu clima e pela grande proximidade a Campos do Jordão.

Como chegar e se locomover por São Bento do Sapucaí

Como chegar

Para quem está em São Paulo, há duas opções.

A primeira é seguir pela Rodovia Presidente Dutra até São José dos Campos e de lá acessar a Rodovia SP-050 para chegar até São Bento do Sapucaí.

A segunda opção é seguir pela Rodovia Carvalho Pinto até Taubaté lá acessar a Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, que dá acesso à Campos do Jordão. Porém é necessário sair da Rodovia em Santo Antonio do Pinhal e seguir pela SP-046.

Como se locomover em São Bento do Sapucaí

Para locomover em São Bento do Sapucaí, é necessário carro.

A cidade ainda não tem serviço de Uber ou outros aplicativos de motoristas, apenas táxis.

Para quem vai ficar dentro da cidade, sem sair para algum tipo de passeio, é fácil andar a pé, mas é preciso levar em consideração que a cidade não é plana, portanto há um certo esforço para subir e descer ruas um pouco íngremes.

Como preparar uma viagem para São Bento do Sapucaí

Dicas essenciais

A cidade é típica de interior, mas com ótimos restaurantes e pousadas, além de supermercados e agências bancárias.

Os estabelecimentos aceitão cartão de crédito, mas se precisar de dinheiro, há caixas eletrônicos.

O que levar na mala

  • Muitas roupas de trilha e ginástica,
  • Não esqueça de levar barrinhas de cereais, lanches, água e Gatorade para aguentar as trilhas e atividades ao ar livre.
  • Repelente
  • No inverno, botas e casacões bem quentes.
  • Tênis para escaladas e trilhas. E mesmo com frio vale levar roupas de banho, já que nossa pousada por exemplo, oferece saúna.
  • Não esqueça de levar máquina fotográfica, Go Pro, carregadas
  • Além disso, uma mala para trekking é muito bem-vinda! Lembre-se de levar uma sacolinha plástica para não deixar lixo pelo caminho, hein?

Onde ficar em São Bento do Sapucaí

Para uma estadia com bastante conforto

Pousada do Quilombo

Uma das melhores pousadas da região é a Pousada dos Quilombolas. Ela é avaliada como fantástica pelos viajantes do Booking.com. Inclusive, tivemos amigos que foram e adoraram!

A pousada é uma graça, com chalézinhos espalhados por um jardim bem preservado. Além disso, oferece café-da-manhã, piscina, quartos com ar condicionado e aquecedor. É uma boa indicação para famílias, casais e grupos de amigos.

Onde ficar em São Bento do Sapucaí
Pousada dos Quilombolas, uma excelente opção de hospedagem em São Bento do Sapucaí

Confira aqui nosso post completo de Pousadas em São Bento do Sapucaí, com mais de 8 recomendações de hospedagens incríveis :). 

Reserve as pousadas mais charmosas de São Bento do Sapucaí com a oferta do dia:

Booking.com

O que fazer em São Bento do Sapucai

Pedra do Baú

Ela é a cereja do bolo quando estamos falando de São Bento do Sapucaí e um dos principais pontos turísticos da Estância, se não o principal.

A Pedra do Baú é uma formação rochosa que compõe o Complexo da Pedra do Baú juntamente com o Baúzinho e Ana Chata e quase 2 mil metros de altitude.

Continue lendo o post para saber como foi a nossa subida até a Pedra do Baú.

Igreja Matriz

Parece ser a máxima de toda cidade do interior, mas é na igreja matriz que é o ponto de encontro de diversas comemorações que acontecem por lá.

Além disso, a igreja é muito bonita e fica no alto da cidade, dando uma bela vista para as montanhas.

Igreja Matriz

Cachoeiras

Cachoeira dos Amores é uma queda d’água mais sem emoção, ótima para quem quer tomar um banho em suas águas ou relaxar ao som da água caindo. Dá para chegar nela de carro e só precisa pagar por volta de R$3 por pessoa, pois ela fica em uma propriedade particular.

Já a Cachoeira Toldi fica na mesma estrada, mas no meio da Serra. A queda d’água é linda e super vale a pena a parada com o carro para apreciar.

Confira aqui nosso post sobre o que fazer em São Bento do Sapucaí para mais dicas de como aproveitar a cidade.

Roteiro São Bento do Sapucaí

Dois dias em São Bento do Sapucaí é pouco, mas dá para aproveitar muito! Existem muitos programas de ecoturismo por lá: cachoeiras, passeios de bike e cavalo, trilhas na Pedra do Baú, passeios culturais, excelente culinária, muita escalada, tirolesas, e etc.

Nós não conseguimos fazer tudo isso, mas fizemos os programas essenciais para quem vai a São Bento do Sapucaí!

São Bento do Sapucaí - Roteiro de 2 dias na cidade
A vista da Pedra do Baú no Bauzinho.

1º dia

Manhã:

Visita a Cidade e programação de trilhas e aventura

Como nós fomos passear de Balão em Pindamonhangaba no sábado, chegamos em São Bento do Sapucaí somente para o almoço. Mas para quem chegar de manhã, a melhor coisa é pegar o carro e se ambientar pela cidade.

Além disso, aos que estiverem pensando em escalar a Pedra do Baú (bauzão) é MUITO necessário ir com cordas de segurança, capacetes e um guia! Confiem no que estamos falando!

Chegando na pequena cidade, siga em direção ao Baú Ecoturismo, que fica na Estrada do Quilombo, 1403. A Agência de esporte e aventura oferece serviços como caminhadas, passeio de bike, rapel, escalada guiada, trilhas, tirolesa e informações.

Chegando lá, você já planeja todas as atividades que você quer praticar no fim de semana! O Fabrício Barbosa, dono da Baú Ecoturismo é muito atencioso e vai achar o programa perfeito para cada tipo de pessoa.

Nós fomos até lá porque queríamos subir na Pedra do Baú, e ele nos forneceu equipamentos de segurança e guia para a escalada por R$ 100,00 por pessoa.

Quem quiser agendar antes para economizar tempo, seguem os contatos do Baú Ecoturismo:

Telefone (12) 9737-5968/ 9623-1620

E-mail: contato@bauecoturismo.com.br

Mas é sério, não dá pra subir a Pedra do Baú sem estes equipamentos, é muito arriscado e perigoso. Pense que você vai estar subindo um paredão de rocha de 350 metros de altura, com um abismo embaixo de você!

Para você ter uma ideia, desde 2009 houve 5 acidentes por lá e 2 fatais de pessoas que subiram sem segurança. Então não vacile, com segurança não há problema algum e vale total o passeio! (Nós contamos mais sobre a escalada neste post)

Bom, vista a cidadezinha e combinados os passeios com eles (nós optamos pela Pedra do Baú no dia seguinte), já está quase na hora do almoço:

São Bento do Sapucaí - Roteiro de 2 dias na cidade
A vista da Pedra do Baú no Bauzinho.
Onde comer almoço: Restaurante Taipa

O Taipa só abre no almoço e definitivamente é o nosso predileto. A comida mineira, direta do forno a lenha, é servida por quilo.

Quentinha e saborosa, as opções são diversas, arroz, feijão, macarrão ao forno, coxinhas, bolinhas de queijo, torresmo, feijoada, pastéis, couve, carnes e frangos, lasanha, entre outras. Nós fizemos um prato daqueles e saiu em torno de R$ 20,00, com bebida e tudo. Vale a pena!

O restaurante Taipa fica na Rua Des. Afonso de Carvalho, 200. O telefone: (12) 3971-2772.

Roteiro São Bento do Sapucaí: 2 dias na cidade | Viva o Mundo
Nosso restaurante predileto em São Bento do Sapucaí: Taipa

Tarde:

Cachoeiras e Pedra do Baúzinho

O Complexo da Pedra do Baú é definitivamente o carro-chefe em São Bento do Sapucaí. Por lá, não há apenas a escalada ao Bauzão (5 horas de passeio), mas existe a Pedra do Baúzinho, que tem um acesso bem mais simples (30 min de trilha), e a Pedra Ana Chata – que exige uma caminhada de algumas horinhas.

Para chegar de São Bento do Sapucaí até a Pedra do Baúzinho é necessário andar de carro uns 40 minutos em uma serra cheia de curvas. Nesta estrada, vale a parada em duas cachoeiras: a Cachoeira dos Amores e Cachoeira do Toldi.

Na verdade, a Cachoeira dos Amores é uma queda d’água sem muitas emoções, mas vale para quem quer dar um mergulho ou relaxar um pouquinho com o barulho da cachoeira. Dá pra chegar de carro até ela, só é necessário pagar 3 reais por pessoa, já que a cachoeira dos amores fica em uma propriedade privada.

Quem não quiser pagar, é só deixar o carro fora da propriedade e andar cerca de 5 minutinhos até ela. A Cachoeira do Toldi fica na estrada mesmo, no meio da Serra. É uma queda d’água linda! Vale a parada com carro mesmo para algumas fotos!

Pedra do Baúzinho 

A Pedra do Bauzinho tem acesso pela face sul do complexo da Pedra do Baú, ou seja, fica do outro lado de São Bento do Sapucaí. É necessário subir toda a serra e pegar alguns quilômetros de uma estradinha.

Para saber quando chegou ao acesso da Pedra do Baúzinho é fácil: O asfalto vai começar a ficar ruim e bem esburacado. Você vai andar mais um pouquinho e terá uma placa com direção a Pista de Pouso e Pedra do Baúzinho.

Chegando lá, você estaciona o carro na rua mesmo e anda por cerca de 10 minutos até a Pista de Pouso (onde saem as asa deltas e paragliders) e depois mais 20 minutos até  a Pedra do Baúzinho. Aos que não estão afim de andar 30 minutos até a Pedra do Baúzinho a dica é: visite ela depois das 17 horas.

O Parque Estadual libera a entrada de carros depois dessa hora para quem deseja assistir ao pôr-do-sol e não andar até a pedra. O que mais vale a pena é assistir o Pôr-do-sol do Baúzinho, é uma vista incrível!

Roteiro São Bento do Sapucaí: 2 dias na cidade | Viva o Mundo
Pôr do Sol no Bauzinho…

Noite:

Onde Comer Jantar: O Grão do Galo

Já a noite, a vida noturna de São Bento do Sapucaí não é das mais emocionantes. Mas eles possuem sim agito para quem procura: Tem bares com samba tocando na rua e até um bar de blues que começa depois das 23 horas. Mas nós decidimos jantar e descansar, já que no outro dia seria a nossa escalada ao Baúzão!

Nós comemos em um restaurante delicioso! Chama o Grão do Galo.Eles servem comida mineira, pizzas, ótimos vinhos e cervejas. Nós comemos uma batata cozinha incrível, recheada com carne seca e catupiry.

O preço é o melhor: Não saiu nem 20 reais por pessoa! Detalhe: É um restaurante bem concorrido, nós ficamos cerca de meia hora na espera. Então aconselho a reserva.

Endereço e contato Restaurante Grão do Galo:

R. Cel. Ribeiro da Luz, 110. (12) 3971-2301/ (12) 9705-1170

2º Dia

Manhã e Tarde: 

Escalada na Pedra do Baú

Se você for da aventura e decidiu fazer a escalada da Pedra do Baú, tome um café-da-manhã BEM reforçado. São cerca de 5 a 6 horas de passeio escalando a Face Norte da Pedra do Baú! Não esqueça de levar uma mala de trekking com muita água, Gatorade e lanches!

A escalada e a segurança

O destino predileto de 95% dos escaladores do estado, apresenta perigos –e muitos – aos iniciantes que escalam sem equipamentos de segurança (e noção) a pedra.

A escalada funciona assim: depois de uma trilha de 1 hora de subida no meio do mato, começa a escalada radical mesmo: São cerca de 5 – 6 lances de escadinhas de ferro presas na pedra a 300 metros de altura, e elas são as únicas coisas que te seguram de cair em um precipício.

Funciona assim: derrapou, caiu. Por isso, é MUITO importante ir com segurança, cordas, capacetes e etc, que te protejam em caso de algum deslize.

São mais de 1.000 pessoas que sobem a pedra por fim de semana, muitas delas vão de chinelo, sem cordas, sem capacetes, nada. É um absurdo! É MUITO IMPORTANTE IR COM GUIA EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA!

Desde 2009, houve 5 acidentes, 2 fatais de pessoas que subiram a pedra sem equipamentos, segundo informações da prefeitura de São Bento do Sapucaí.

Eu digo isso repetidamente porque eu vi muita gente indo sem segurança e amarelando no meio do caminho!  Ou que subiram achando que tudo bem, mas esqueceram da descida que é tão perigosa quanto a subida!

Nosso Guia, Breno, da Baú EcoturismoComo já falamos aqui, nós indicamos o passeio com a Baú Ecoturismo, eles são a maior agência por lá e fornecem guias locais que te levam com cordas, mosquetões, capacetes e cadeirinhas – tudo da melhor qualidade.

Via ferrale na escalada da Pedra do Baú
As famosas escadinhas da escalada da Pedra do Baú
Melhor Horário para escalar:

Se você for durante o fim de semana, é melhor ir bem cedo para evitar muita gente na trilha. Nós saímos as 9 horas da manhã e mesmo assim pegamos a trilha muito lotada.

Aconselho sair no máximo as 8 horas da manhã, até porque o sol vai estar mais leve. A tarde não é aconselhável subir na pedra, se for um dia de sol, as escadas esquentam e o sol fica de rachar.

Existem dois jeitos de subir a Pedra do Baú, pela Face Norte e Face Sul.

Face Sul

É uma subida mais encoberta por árvores e vegetação, ou seja, você vai se sentir um pouco mais seguro.

Nós não fomos, mas pelo o que nosso guia nos explicou, é mais demorado saindo de São Bento do Sapucaí , já que precisa subir toda a serra (1 hora) e fazer uma trilha mais longa (cerca de 1h30), até começar a escalada da rocha mesmo. As famosas escadinhas para a subida também são presentes lá.

Face Norte

A Escalada da Pedra do Baú pela Face Norte é um desafio intenso. É uma rocha de 300 metros verticais que você vai escalar subindo as escadinhas de ferro!

Entre as escadinhas de ferro, algumas paradas com terra firme.

Como chegar na trilha da Pedra do Baú

Você vai pegar o seu Guia na Baú Ecoturismo e depois de São Bento do Sapucaí até chegar na Face Norte são apenas 10 minutinhos de estrada, e aí você vai em direção ao Restaurante Pedra do Baú.

Além da vista maravilhosa que o restaurante tem, ele oferece brincadeiras para crianças como escalada, arvorismo, cama elástica. Dá pra passar o dia por lá. Se algum amigo seu não animar ir até a Pedra, dá pra ele ficar um pouco no Restaurante curtindo!

Lá tem estacionamento, se você não consumir nada paga R$ 10,00. Mas se você comprar uma água já não paga…

De lá começa a trilha da Face Norte da Pedra do Baú

Depois de uma trilha de aproximadamente 1 hora de SUBIDA, você vai continuar a trilha, mas agora escalando 300 metros de pedra pelas escadinhas presas nela. É serio, eu (Virginia) fui com cordas, segurança e tudo mais e MESMO assim tremi que nem vara verde!!!! (só estou falando isso pra você ter noção e ir sem segurança).

Parada dos Medrosos

É o maior lance de escadas da escalada na Pedra do Baú. É lá que muuuita gente amarela e desiste, porque é um paredão vertical gigantesco só com as escadinhas como apoio.

O Cume!

Chegando em cima da pedra existem duas trilhas, uma para esquerda e outra para a direita. A da esquerda dá bem na ponta da Pedra com vista para a pedra do Bauzinho.

É Sensacional! Se você andar até o lado direito, vai conseguir ver a Pedra da Ana Chata. Tem muita gente que é ainda mais radical e desce de rapel a Pedra do Baú (mas ai tem que saber bem!!!)

A vista lá de cima – A Pedra do Bauzinho logo atrás. Dá pra ver até Campos do Jordão lá de cima!

Roteiro São Bento do Sapucaí: 2 dias na cidade | Viva o Mundo
Chegamos lá!
Descida

Pessoal, muita gente que pratica escalada esquece de que o cume não é o fim da escalada. É só o meio do caminho. Então se alimentem lá em cima e voltem com calma pelas escadinhas! No fim,São cerca de 2h30 de subida, 1 hora lá em cima (leve lanches) e mais 2 horas de descida.

Chegando de volta ao Restaurante Pedra do Baú, se você der sorte e não tiver muita espera vale muito a pena comer por lá. Mas nós estávamos muito esfomeados e tinha uma longa espera. Então fomos até um outro restaurante da cidade de São Bento do Sapucaí.

Tarde:

Almoço: Restaurante Sabor da Serra 

Decidimos conhecer outro famoso por quilo da cidade. O restaurante Sabor da Serra, que também serve comida mineira. Mas depois de conhecer o Restaurante Taipa ficamos decepcionados.

As opções de comida não são tão gostosas, ficou mais caro e o atendimento não foi bom! Sugiro que vocês repitam o Restaurante Taipa, porque é sensacional!

Noite:

Depois de uma escalada dessas, você vai estar quebrado! Por isso foi boa a opção do Bed and Breakfast pra gente, nós conseguimos tirar um cochilo para voltar a São Paulo inteiros.

Gostou do post? Comente aqui 🙂

Leia mais sobre destinos no interior de São Paulo:

You may also like

8 comentários

Nathália janeiro 27, 2016 - 10:38 am

Oi pessoal!

Gostei muito desse post, principalmente porque vou para São Bento do Sapucaí e pretendo escalar a Pedra do Baú.

Preciso de algumas informações adicionais. Eu fechei com o Baú Ecoturismo, então vamos com toda proteção, etc. Porém, conversei com nosso guia por WhatsApp e ele perguntou por qual lado iríamos querer subir, se é pela Pousada Quilombo ou pelo Restaurante Pedra do Baú. Falei que iriamos por aquele que ele achar melhor, que no caso ele disse que pelo restaurante, Face Norte, certo?

Maas, pesquisando muito no google (porque estou ansiosa haha), vi que a Face Sul é mais fácil que a Norte e por isso estou insegura. Eu e mais 4 amigos não temos costume de praticar esportes radicais e nem temos muito preparo físico. O que vocês me indicariam?
Obs: vamos ficar nos Chalés Lago do Baú, que ficam pertinho do restaurante.

Obrigada e parabéns pelo blog!!

Reply
Virginia Falanghe outubro 11, 2018 - 11:42 am

Oi, Nathalia,

Peço mil desculpas pela demora na resposta por aqui! Anos depois, rs! Ai que vergonha !!!

Espero que você tenha aproveitado super a viagem. Depois conta pra gente por que lado você foi e o que achou?

Obrigada pelo comentário e espero que o post tenha ajudado!!!

Reply
JOANA DARC novembro 11, 2016 - 9:17 pm

ESTOU ME PREPARANDO FISICA E MENTALMENTE PARA ESSA AVENTURA, POREM QUERO DISPOR DE TODA SEGURANÇA….

Reply
Virginia Falanghe outubro 11, 2018 - 11:43 am

Oi, Joana!

Espero que você tenha conseguido ir e com bastante segurança :).

Um abraço!

Reply
Virginia Falanghe outubro 11, 2018 - 11:43 am

Oi, Joana!

Espero que você tenha conseguido ir e com bastante segurança :).

Um abraço!

Reply
MARIA EUGENIA FARIA novembro 30, 2018 - 4:31 pm

Minha experiência foi maravilhosa nesta cidade, mais subir a Pedra do Baú foi inesquecível, já se passaram 6 anos mais me lembro como se fosse ontem.
Fui com uma pessoa que se dizia experiente , porém não recomendo a ninguém fazer o que eu fiz.
Sem levar nada para beber ou comer, iniciei a caminhada as 11hrs, com meia hora já não tinha mais folego, graças a um guia que encontramos no meio do caminho fui orientada e respirar de uma forma mais correta, chequei ao topo as 14hrs e não sei como descrever o que senti, a paisagem que vi de lá de cima e o orgulho de no auge dos meus 49 anos sem nenhum preparo físico e sequer equipamentos de segurança lá estava eu no topo da Pedra do Báu.
Retornei as 16hrs debaixo de um sol escaldante, com uma dou terrível nos joelhos, mais sem acreditar que consegui fazer essa loucura maravilhosa.
O caminho é cheio de pedras, mais possui muitas arvores, as quais fui abraçando uma a uma e tive uma sensação maravilhosa de frescor porque são geladas, achei uma bica de água geladíssima que foi a minha salvação.
A cidade tem um povo hospitaleiro que gosta de uma boa prosa na praça , tem restaurantes de comida mineira muito bons.
Eu recomendo.

Reply
MARIA EUGENIA FARIA novembro 30, 2018 - 4:35 pm

Minha experiência foi maravilhosa nesta cidade, mais subir a Pedra do Baú foi inesquecível, já se passaram 6 anos mais me lembro como se fosse ontem.
Fui com uma pessoa que se dizia experiente , porém não recomendo a ninguém fazer o que eu fiz.
Sem levar nada para beber ou comer, iniciei a caminhada as 11hrs, com meia hora já não tinha mais folego, graças a um guia que encontramos no meio do caminho fui orientada e respirar de uma forma mais correta, chequei ao topo as 14hrs e não sei como descrever o que senti, a paisagem que vi de lá de cima e o orgulho de no auge dos meus 49 anos sem nenhum preparo físico e sequer equipamentos de segurança lá estava eu no topo da Pedra do Báu.
Retornei as 16hrs debaixo de um sol escaldante, com uma dor terrível nos joelhos, mais sem acreditar que consegui fazer essa loucura maravilhosa.
O caminho é cheio de pedras, mais possui muitas arvores, as quais fui abraçando uma a uma e tive uma sensação maravilhosa de frescor porque são geladas, achei uma bica de água geladíssima que foi a minha salvação.
A cidade tem um povo hospitaleiro que gosta de uma boa prosa na praça , tem restaurantes de comida mineira muito bons.
Eu recomendo.

Reply
Virginia Falanghe janeiro 8, 2019 - 2:02 pm

Oi, Maria Eugenia,

Obrigada pelo comentário aqui no blog! Fico contente que tenha adorado a Pedra do Baú! Nós também amamos, mas sempre recomendo ir com segurança e guia, já que a trilha é perigosa!

Que bom que deu tudo certo e você recomenda também!

Obrigada

Reply

Deixe um comentário